A imagem acima conta a história de um grupo de homens cegos e um elefante. É uma história famosa sobre um grupo que discute sobre o que eles encontraram, o problema é que cada um é exposto a uma pequena parte do elefante.

Esse elefante é como se fosse um produto. Se cada pessoa olhar apenas para o seu umbigo o produto vai estar fadado ao fracasso. Afinal, não adianta nada ter várias ideias conflituosas. Essa história é como se fosse o dia a dia de um Gerente de Produto e seus stakeholders.

Se essas definições não forem feitas com muita cautela por alguém que só pensa nisso diariamente, as chances de você estragar o seu produto aumentam muito. No final das contas, o Gerente de Produto, ou como no caso do VivaReal, um grupo de Gerentes de Produto, precisa se organizar pra agradar ao máximo todas as partes interessadas (outros funcionários, usuários, fundadores, investidores e etc).

Então como construir uma boa estratégia?Pra começar é necessário definir duas coisas: i) Definir uma visão para o seu produto ii) Gerenciar ele baseado nessa visão. É a partir dessa visão que você cria uma série de regras que devem ser seguidas pra manter a casa em ordem.

Ué, como assim? Como definir uma visão? Veja alguns exemplos

  • Amazon: “Ser a empresa mais centrada do mundo; construir um lugar onde as pessoas podem encontrar e descobrir qualquer coisa que queiram comprar online.”
  • Google: “Organizar a informação do mundo e torná-la universalmente acessível e útil. “
  • Twitter: “Ser o pulso do planeta.”
  • VivaReal: “Ajudar as pessoas a encontrar a casa dos seus sonhos”

Isso é muito importante para que o seu produto se mantenha relevante. Observe que o Twitter não fala nada sobre apps e tweets, o Google não menciona busca, o VivaReal não fala sobre anúncio de imóveis e a Amazon não fala sobre livros. A visão tem que ser robusta e duradoura. Tecnologias, redes sociais e coisas da moda sempre mudam. Então pense sobre isso quando for definir uma visão pra sua empresa e/ou produto.

Escolhendo o caminho

Você lembra do filme Alice No País das Maravilhas? Tem uma cena muito interessante no qual ela pergunta pro gato qual caminho deve seguir. O gato pergunta pra onde ela quer ir e ela diz que não sabe. A partir desse momento o gato retruca dizendo que então não importa o caminho que ela seguir, como ela não sabe pra onde vai, qualquer caminho serve.

Se você não sabe pra onde vai, então qualquer caminho serve — Alice No País das Maravilhas. O problema é quando você chega nesse ponto com o seu produto. Nessa hora entra o importante papel do Gerente de Produto, ele precisa ser o responsável por criar uma visão específica pro produto.

Como a visão é importante pro dia a dia da empresa

A visão é algo a longo prazo, que, obviamente, não está escrito em pedra e pode mudar. Mas é a partir dela que você cria metas, e então você pode definir estratégias pra atingir essas metas e em seguida você faz seus planos e então cria as atividades do dia a dia.

Aqui um exemplo prático de como estamos aplicando isso no VivaReal. Temos uma visão bem clara e abrangente. Já estamos num tamanho relativamente grande e por isso, após as metas, temos que definir uma estratégia diferente pra cada produto — essa parte pode variar muito do tamanho da empresa e da velocidade que as coisas precisam ser entregue.

Por exemplo, alguns times trabalham mais focados em alimentar a nossa base de dados de anúncios. Esse conjunto de times são chamados de “Plataforma de Anunciantes”, que é basicamente um time de integração de Carga através de um arquivo XML e o VivaPro, que é um CRM para anunciantes do VivaReal. Com os OKRs esse conjunto de times conseguem seguir a mesma direção na maioria das vezes.

Mas nem tudo são flores

O objetivo é dar a maior autonomia possível para cada bloco. Mas, na prática, sabemos que o mundo não é perfeito assim. Mesmo assim ainda existe dependência entre os squads que estão em diferentes blocos, e estamos trabalhando constantemente em encontrar uma fórmula que minimize ao máximo as dependência dos squads.

Para ajudar com esse problema, nós regularmente mapeamos todas as dependências entre os squads, e mapeamos se essa dependência apenas vai deixar o desenvolvimento mais lento ou se vai bloquear ele por completo. Nós então discutimos maneiras de eliminar essas dependências problemáticas, especialmente o bloqueio de dependências de squads de blocos diferentes. Isso muitas vezes faz com que seja preciso redefinir as prioridades, mudar alguma arquitetura ou até mesmo solução técnica.

Em artigos futuros podemos dar mais detalhes de como funciona esse processo de mapeamento de dependências e como trabalhamos em produto pra resolver alguns problemas que citei aqui. Espero que esse artigo ajude outras empresas de tecnologia que ainda não estão na fase de tração. Também espero que tenha ficado claro quão importante é ter um Gerente de Produto olhando pra visão e o quão importante é definir ela o mais cedo possível — de preferência antes de começar a ter tração.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>